quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Dicas para estimular seu filho


DICAS PARA ESTIMULAR SEU FILHO
A seguir você verá algumas dicas que servirão para estimular seu filho. Lembre-se que são dicas gerais, adapte-as com critério para seu filho, levando em conta a idade e dificuldades dele.Se possível, converse com o terapeuta que acompanha a criança, ele poderá adaptar estas ou lhe fornecer novas dicas.
1 - Brincar na frente do espelho - se puder, tenha um espelho que seu filho possa se ver inteiro. Sente-se atrás de seu filho e brinque de mostrar seu cabelo, sua boca e etc.Dependendo da criança, você precisa segurar a mão dela e ajudá-lo a por nas partes do corpo.Faça comentários tipo, olha o ( cite o nome dele(a)) e a mamãe.Olha a mamãe e o ( nome da criança) abraçados etc.Este exercício ajuda criar consciência do eu e os outros.
2 - Rasgar jornal. De início é comum a mãe ficar atrás da criança e segurar suas mãozinhas para pegar e rasgar jornal.Comece com pedaços grandes e vá diminuindo aos poucos.Este exercício ajuda na coordenação motora.Você pode inventar uma brincadeira no final tipo juntar os papeizinhos e jogar do alto ( chuvinha de papel!!).
3 - Brincar de massinha. Esta brincadeira auxilia a coordenação, mas normalmente os autistas estranham muito a massinha.Será preciso insistir
4 - Pintura a dedo - ótimo para estimular, você deve ir falando as cores e deixe a criança se lambuzar um pouco, dá aflição no início, mas aos poucos vai entrando nos eixos. Não jogue as artes fora.De vez em quando mostre para ele as obras que já fez!!
5 - Pegue três latas de tamanhos diferentes (pequena, média e grande) e faça um furo na tampa de maneira a passar uma bolinhaBrinque com seu filho de por as bolinhas nas latas, reforce sempre as palavras Graaaande, mééédia pequeeena.Depois empilhe também as latas.As bolinhas pode ser de pingue e pong que se acha nas lojas de miudezas.
6- Dance - Dançar auxilia muito as crianças, brinque de dançar com seu filho, invente passos, mesmo que ele pareça não se interessar, continue. Ponha músicas de criança, chame os irmãos ou o pai para fazer uma roda.
7 - Tente jogar bola, pode ser uma bexiga, se puder chame alguém para ajudar. Se seu filho não participa, peça para alguém ficar atrás dele e ajuda a pegar e jogar a bexiga para você.
8 - Um ambiente rico em estímulos pode ajudar, deixe o rádio ligado, numa altura média, se possível numa emissora que toque boa música brasileira, e em determinados períodos música clássica. è comum os autistas terem preferências por determinados sons, como voz mais grave, como as de locutor de FM, desta forma você estará facilitando o aprendizado do idioma, acostumando o ouvido dele a ouvir o som do português.
9 - Programas infantis como Castelo Ra TIM Bum, Mundo de Beakmann, além de educativos são ricos em estímulos.
10 - Massageie seu filho. Comece pela parte de trás, dos pés a cabeça.Na parte da frente do corpo, sentido inverso, da cabeça aos pés.Use um óleo ou creme anti alérgico, de odor suave.Fale com seu filho enquanto o massageia.Diga como seus braços, suas pernas seu corpo é forte.Diga-lhe o quanto é amado.Se quiser, ponha uma música suave de fundo.Procure fazer da massagem um ritual diário.Não precisa técnica especial, precisa ter um toque suave e firme, é quase como um carinho.Os resultados são ótimos.
11- Insista sempre, é normal seu filho não se interessar no início, talvez até ficar arredio, não se incomode e continue, deixe as brincadeiras que ele mais gosta por último, faça uma seqüência e siga-a, aí ele entenderá que logo virá a parte que ele gosta.
Gostou da postagem? Então deixe seu comentário aqui. Bjs

2 comentários:

  1. Perfeito! é isso mesmo, a evolução dessas crianças evolve um tripé - amor, paciência e estímulo.
    É um processo lento, porém eficaz.

    beijos

    Raquel Francisco Pinheiro

    ResponderExcluir
  2. Tania Regina Warpechowski29 de outubro de 2010 05:28

    Olá sou fiioterapeuta e minha dissertação é sobre autismo e adorei seu blog, parabéns.
    Também luto pela reabilitação e inclusão do autismo e sabemos que só com diagnóstico precoce e tratamento adequado, além de uma mãe lutadora... conseguiremos.

    ResponderExcluir